terça-feira, 15 de abril de 2008

O fascinante poder da aprendizagem (Chafic Jbeili)


Poder não é só para heróis dos quadrinhos ou da TV. Não é mera ficção existencial, antes, é força de ânimo e energia de vontade. Poder também indica posses. Chamo de poder toda e qualquer iniciativa para, arriscando-se, conseguir o que se pretende no nível em que se é hábil ou capaz. Neste sentido, "poder de aprendizagem" é canalizar com destreza a latente força humana que emana da energia psíquica, para saciar o desejo de saber, do latim sapere, "ter gosto".

O que é fascinante no exercício deste poder é o esforço em saborear o sentido natural da vida, aprendendo a utilizar com prudência, moderação e objetividade as informações e o conhecimento que se apossou, visando qualidade na integração pessoal e social. A isto chamo de desenvolvimento sadio da capacidade e potencial, intelectual e moral, da pessoa humana em todas as fases de sua vida.

A metanóia humana inicia-se com a aprendizagem. É deste transformar fundamental do pensamento que se efetiva a evolução e a manutenção da vida em todos os sentidos. Aprender é incluir-se no contexto humano como gente. Gente que pensa, que fala e que escreve. Gente que cria e que destrói, não para saciar Tanatos, mas para fomentar Eros no reconstruir o pensar, o fazer ou o aprender, não importa. Aprender liberta, iguala, estabelece e evidencia o ser aprendente. É ele quem traz à existência o ser ensinante. Este paradoxo educacional é fantástico, vez que o aluno, que quer dizer "sem luz", traz à luz aquele considerado iluminado, o seu próprio Mestre!

Poder aprender é condição fascinante na medida em que é quase mágica e totalmente encantadora. O irresistível ato de aprender tem em si força de gravidade vertical, que atrai aleatória e espontaneamente gente de todas as idades, raças, sexos e status sociais. Este ímpeto é reforçado pela tácita tendência humana à satisfação de seus questionamentos e a necessidade em desvelar o desconhecido. Na verdade, o ser aprendente não busca uma resposta, mas a confirmação daquilo que desconfia em sua imaginação. Sendo assim, serão mais beneficiadas nos processos da aprendizagem aquelas pessoas, da criança ao idoso, cuja imaginação seja estimulada e cujas curiosidades não sofram repressão, censura ou mesmo escárnio.

Neste contexto, bom ensinante não é aquele que busca aprovação de seus alunos ou discípulos, querendo provar desesperadamente sua capacidade e seu brilhantismo mas, o bom ensinante é aquele que faz o aprendente perceber-se único, brilhante e capaz. Nas palavras de Hermann Hesse, o ser ensinante original é aquele que diz ao ser aprendente: "Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo".

---------------------

Faça seu comentário à respeito do texto e emita opinião pessoal sobre como a tecnolgia pode colaborar com a aprendizagem.

3 comentários:

Valdisa disse...

O texto;O Fascinante Poder da Aprendizagem nos conduz de forma simples e gostosa a maneira de vermos o quanto podemos aprender com o lado natural da vida.Nesta busca do novo, o "ser aprendente" e o "ser ensinante" tornam-se seres integrados, onde a corrente se une por elos de uma boa troca de informações, fundindo-se conhecimentos com liberação de energias produtivas e iluminadas.

Valdisa disse...

COMO A TECNOLOGIA PODE COLABORAR COM A APRENDIZAGEM...
Como seres em desenvolvimento que somos, devemos estar abertos ao "novo".E essa nova Era, a digital, nos convida a rever nossa prática,cabendo a cada educador a, pelos menos, tentar dar um sentido ao uso da tecnologia, produzindo conhecimentos com base em um labirinto de possibilidades. Assim a tecnologia aliada a aprendizagem é um reforço maior no que diz respeito a revisão dos métodos tradicionais.

MARIA GÊUMA disse...

O fascinante poder da aprendizagem é um texto que reproduz de maneira rica e bem delineada a fantástica aventura que é a aprendizagem.
o valor que cada educando e educador possui na troca de suas experiências,como seres em construção onde cada um tem o seu espaço e importância dentro desse processo.
Os novos tempos já não permitem que a tecnologia seja privilégio de elite, o computador por exemplo, é um recurso básico de uma enorme gama de opções onde mais cedo ou mais tarde estarão em toda parte.
As oportunidades oferecidas pelo mundo digital não é para constranger o professor, mas para dar sentido ao uso da tecnologia produzindo conhecimento, sendo essencial o gerenciamento estimulando sempre a criatividade do educando e do educador.

"Estar atento significa estar disponível ao espanto. Sem espanto não há ciência, não há criação artística. O espanto é um momento do processo de pesquisa, de busca. Essa postura de abertura ao espanto é uma exigência fundamental ao educador e à educadora. [...] O espanto não é o medo que ele tem nem é coisa de ignorante. O espanto revela a busca do saber."(Paulo Freire)

Cartilha burnout em professores. Distribua!

Análise do desenho infantil em perspectiva psicopedagógica